POEMA DE LUZ

Na hora da brisa da tarde, senta no alpendre pra olhar,
O sol deitar no poente e escrever no horizonte
O arrebol que lhe faz inspirar;
Coisas para dizer logo mais, a quem ama sem dimensão,
E que chega tal qual a lua, apagando sua escuridão!

Eu queria tanto ser o dono, do poema de luz que ela faz –
Com o corpo e entrega com a alma
Ela é um sonho de amor e de paz;
Viajar nos teus olhos brilhantes, deve ter a mesma sensação,
De estar nos raios da estrela, que só é possível vê-la
Quando o brilho vem do coração!

Escrito por:
Sávio Estrela
Alex Sávio
Jundiaí – São Paulo